Metodologia de Trabalho – Doma

Desde os 12 anos de idade  estive envolvido com os cavalos . Domei o 1° aos 13  , de lá para cá foram muitos . Esse era meu prazer, estar com cavalos e gado sempre que a escola dava uma folga . Nos feriados e férias me dedicava em tempo integral . Praia , carnaval , festa com amigos nos finais de semana  são palavras que não  fiziam parte do meu vocabulário .

Nesses vinte e cinco anos apenas os últimos dois pude me dedicar integralmente aos cavalos mas sempre convivi no meio equestre , me dedicando nas brechas que o tempo permitia . Tive oportunidade de fazer vários cursos , de doma , rédea , laço …. , ver bons profissionais trabalhando , aprender e praticar várias modalidades , o meu amor é pelo cavalo , não por determinada  modalidade  ou raça  .

Sou uma pessoa que gosta de desafios , a maioria deles  comigo mesmo . Ouvi uma frase há muitos anos de um profissional da área de propaganda e marketig que tem me inspirado e impulsionado não só nos cavalos mas também nas outras áreas da minha vida , ele disse : ” NADA SUBSTITUI O TALENTO ” .

 Sempre lancei a mim mesmos os desafios , quis aprender de tudo um pouco dentro do cavalo . Primeiro foi o laço de bezerro , depois o team rooping , lacei cabeça e pé . Logo percebi que laçar muita gente fazia mas fazer cavalo era  pouca gente que sabia . Domar e treinar foi o próximo desafio e eles não pararam por ai .  Veio a universidade , que cursei com um único objetivo , cuidar de cavalos .

Depois de passar uma raiva danada por causa de um ferrador de cavalos , decidi aprender a profissão. Procurei gente boa da área , comprei as ferramentas e mãos a obra  . Isso já faz 15 anos , sempre estou me atualizando e nunca mais passei raiva com isso .  Aprender a trabalhar com rédeas  , entender um pouco de ferramentas como e quando usá -las  , foi uma evolução inevitável . Depois vieram o laço comprido  , o tambor e o ranch sorting .

O penúltimo desafio foi a pouco mais de 6 meses . Chegou a hora não de ampliar as modalidades trabalhadas e sim  as espécies , os temidos muares . Animal que carregou parte do Brasil nas costas , nos séculos XVII E XVIII ,  e XIX graças a sua força , resistência e rusticidade , mas também popularmente conhecidos como  violêntos   , agressivos , teimosos e traiçoeiros .

Confesso que já tive oportunidade de presenciar todas essas sete características grifadas á cima . As três primeiras características nos muares , e as últimas quatro com maior frequência nos seres humanos . Muares são animais extremamente inteligentes , dóceis e muito fáceis de serem ensinados quando tratados e trabalhados de maneira adequada . Ganhar a confiança deles é o mais difícil , pois são mais dominantes que os cavalos  , nos  testam muito . Depois de bastante trabalho aprendi o que é preciso  para se ter sucesso com muares : 

                       1° – Conhecer sua personalidade e entender o porque de suas ações .

                       2° – Ter boa experiêcia com a Linguagem Equus ,  muita consistência  nas ações e

                       3° – Ser mais inteligente que eles .

Por mais engraçado que pareça esse  3°  requisito é o mais difícil  de desenvolver nas pessoas , pois muitos querem medir força com um animal  10 vezez mais forte , extremamente resistênte , e mais inteligente  que muitos domadores de burros  por ai .  É como chamar para briga um campeão mundial de luta livre  . Fica dícifil , em alguns casos impossível .

O último grande desafio começou a pouco mais de dois meses , janeiro de 2010 , editar esse Blog , por vocês e para vocês . A idéia é reunir , organizar e divulgar o máximo de informações possível , para que todos tenham acesso independênte ,  do nivel de conhecimento e experiência com cavalos , condição finaceira , localidade onde moram , disponibilidade de tempo , enfim fiz opção pela internet , pois a maioria das pessoas podem acessar de alguma forma , de qualquer lugar do mundo .

Está sendo uma experiência nova  , muito cansativa e desgastante , não pensei que  organizar idéias e colocá-las no papel  fosse tão complicado . Confesso  é mais fácil domar e treinar que escrever , mas está sendo muito enrriquecedor  pois  toda dificuldade trás consigo um benefício igual ou maior . 

Como trabalho com  , muares e equinos , vou usar o termo CAVALO neste texto para as duas espécie  quando a metodologia  de trabalho aplicada for semelhante em ambas ,  para  que a  leitura não ficar repetitiva . Quando se tratar de alguma técnica usada ou particularidade apenas dos muares , então citarei as duas espécies .

Hoje após superar todos esses desafios reeditei a frase que citei no começo da leitura : NADA SUBSTITUI O TALENTO ALIADO A MUITO SUOR . Descobri com o passar do tempo que o talento , a inspiração  é 10% do sucesso ,  os outro 90%  é  pura  transpiração . Nós mesmos é que colocamos nossos limites , você é  aquilo acredita  ser . Se pensar que pode realizar algo você está certo e  se pensar que não pode realizar algo você também estará ceto .

Gosto sempre de dizer isso principalmente para aqueles que estão iniciando o trabalho com cavalos e  para os iniciantes na Linguagem Equus . Todos começamos do mesmo ponto e onde podemos chegar só depende de nós , acredite em você busque informações e mãos a obra .

Eu particlarmente demorei para entender e formar um raciocínio lógico, ordenado e completo do que é  domar  de verdade um cavalo .

Demorou não por falta de competência dos profissionais que ministravam os cursos ,  ou  pelo pouco empenho do aluno mas sim por falta de  didática adequada e uma  metodologia de trabalho clara e objetiva . A maior parte dos cursos de doma mostra apenas  INICIAÇÃO de potros ,  tem curta duração , 2 ou 3 dias . Muito pouco tempo para se passar tudo , é  como querer aprender a ler em uma semana .  Iniciar um potro é apenas o começo , e depois o resto , o Que , Quando e  Como fazer para termos um cavalo realmente bem domado , gostoso de se montar e  pronto para nos abedecer. Criei então esse capítulo para que todo o processo seja entendido e cada um possa formar uma  linha de trabalho prórpria . 

 .Domar é como subir uma escada com 10 degraus. Começamos do degrau zero ( chucro)  e temos que leva-lo até  o 10 (domado ). Este é o caminho ,  percorrer cada degrau . Dá trabalho , exige paciência  conhecimento e  dedicação pois cavalos são animais que aprendem por repetição, leva tempo  . Tem gente que  pula alguns degraus por desconhecimento outros pela falta de dedicação . Ouvi essas duas frases de um profissional mundialmente reconhecido no mundo equestre que  mudou por inteiro a minha forma de pensar e agir com relação a domar e treinar cavalos . Gostaria de compartilhar com vocês , talvez  ajude em alguma coisa .

1° –  Quando perguntado quantas vezes precisamos repetir um comando ,  um movimento um  exercício ou uma manobra para ensinar de verdade um cavalo , Ele respondeu : ” É necessário repetir 5 mil vezes . Quando você achar que ele está bom , repita mais 5 mil . 

2° –  Perguntamos se era necessário tudo isso , não tem outro jeito mais fácil , Ele respondeu : ” Tem sim , tudo depende de onde você quer chegar como profissional no cavalo, Deus criou o Caminho e o capeta inventou o Atalho , você quem escolhe por onde quer ir .” 

Este capítulo vai ajudá lo a entender passo a passo os degrais a serem percorridos  . Chamei de METODOLOGIA DE TRABALHO  que tenho aplicado para domar equinos destinados para modalidades western e muares . Esta forma ordenada de trabalhar tem me ajudado muito , espero que possa ajudá -lo também .

Uma coisa tem que ser esclarecida : Doma e treinamento são duas coisas completamente diferentes . Domar é primeiro ganhar a confiança , construir um relacionamento positivo com o animal , ensinar comandos básicos como virar , galopar , rucuar , parar etc.., quebrar ,  desbloquear as partes e ensinar o básico das principais manobras .

Este capítulo trata apenas da metodologia  de doma . Depois vem o treinamento que será específico para cada modalidade , desde que o animal tenha aptidão para ela  . Lembro apenas que é  dever do domador e depois do treinador ser honesto e franco com os proprietários de cavalos , com relação ao desempenho e aptidão dos seus animais . 

Comparo a doma de um cavalo com a contrução civil  ,  os construtores vão fazer obras , os domadores  e treinadores cavalos . Para se erguer uma construção se começa  fazendo um projeto após a escolha do local , levantamento dos materiais ,  orçamento ,  terraplanagem , fundação , alicerces , paredes ,  cobertura , acabamento etc.. ,  existe uma ordem lógica para se fazer as coisas . Não é possivel iniciar uma obra pelas paredes sem um alicerce , ou colocar telhado antes das paredes ou sua sustentação estarem prontas ou mesmo colocar cerâmica sem que o contra piso esteja pronto e assim por diante . Não importa se esteja construindo uma casa de residência ,  uma igreja , um salão de festas ou um prédio de apartamenetos . O que muda é o tipo de fundação , resistência do alicerce , colunas , as divisõe internas e o acabamento . Ainda não inventaram uma máquina que asente tijolos , reboque paredes , nivele , faça acabamentos perfeitos etc…

  Com cavalos também é assim , não que seja uma receita de bolo pois  lidamos com seres vivos que tem personalidade própria , dificuldades e habilidades , mas existe uma ordem lógica de trabalho que deve ser seguida , independente da raça e finalidade a que se destina o cavalo , laço , rédeas , apartação ,tambor, laser etc….e tudo é feito pela mão humana , não existe ainda máquina para isso ,  entenda para se construir uma casa é preciso colocar tijolo sobre tijolo de maneira ordenada dia após dia e para se fazer cavalos é a mesma coisa . 

Muitos cavalos tem baixo desempenho esportivo porque queremos colocar o telhado sobre  paredes sem alicerce . Com o peso  trincos e rachaduras aparecem logo e remenda’-los não resolve o problema , é necessário desmanchar a perede para primeiro fazer a base , só depois subi- lá e dar acabamento . O que realmente muda no processo  é a capacidade indvidual ,  o nível de conhecimento e a dedicação de cada domador ou treinador .

 Antes de proseguir quero fazer – lhe uma pergunta . Pegue papel e caneta , pense na resposta e escreva , só depois continue a leitura .

Essa pergunta foi feita a mim quando participava de um curso de rédeas com um treinador ganhador de vários títulos importantes ,   e que enrriqueceu e muito a  minha maneira de pensar e entender a doma .

 É realmente importante que escreva pois voce vai respondê -la novamente ao final da leitura e comparar as duas respostas . A minha segunda resposta foi bem diferente da primeira , sinal de que o curso foi bom .

A pergunta é :  Na sua opinião o que é um cavalo bem domado ?   Responderei em momento oportuno .

Em  minha METODOLOGIA DE TRABALHO ,  dividi a doma em quatro fases , para um melhor entedimento. Vamos falar agora sobre cada uma delas .

1° Fase – INICIAÇÃO

No meu entender é a fase mais importante pois é o começo de tudo . Se o aprendizado vai de zero( 0 ) a dez (10) , a parte mais importante vai de Zero(0)  a Um (1) .   Quando  iniciamos uma parede 1 cm torta , no final o desvio será grande podendo até cair dependendo do  seu tamanho . Com os equídeos também e’ assim . Nessa fase que acontecem os maiores traumas ,  pela forma desrespeitosa que tratamos nossos animais . Muitos deles carregam esses medos e a falta de confiança no ser humano para o resto de suas vidas .       

 Vamos entender um pouco o cavalo e o porque de suas reações . São animais herbívoros , se alimentam de capim ,  habitam a terra a muitos milhões de anos e  sempre foram presa de diversos carnívoros .

Para sobreviverem na natureza eles precisaram desenvolver 3 habilidades fundamentais : 1° Percepção aguçada ;  2° Reação rápida ;  3° Habituação a estímulos externos .

 Nós os seres humanos somos o maiores predadores da face da terra e se isso não bastasse somos carnívoros , cheiramos carne , nossa cabeça é redonda , as orelhas pequenas e os olhos bem na frente  do rosto , iguais aos dos animais carnívoros , portanto é natural a reação de medo e a fuga de um potro chucro .

 Para piorar ainda mais o nossa relação com eles a maioria de nós age como os carnívoros predadores , literalmente caçam cavalos . Fechamos eles em lugares apertados , colocamos uma corda em seu pescoço , obrigamos a aceitarem com naturalidade  coisas totalmente novas e desconhecidas  ,  ainda os repriminos muitas vezes com violência quando reagem tentando fugir e se defender da nossa predação .    

Com o uso da Linguagem Equus tal coisa não acontece . Nos comunicamos com eles , mostramos que não somos predadores , não iremos atacá los nem ferí – los , construimos um relacionamento positivo onde o medo da lugar a confiança . Esse animal passa estão a nos ver não mais como um predador e sim como seu líder , pois os cavalos vivem em sistema de lierança , eles precisam estar perto de um líder que os proteja e lhes dê segurança ,  pois sozinhos eles se sentem muito frágeis e ameaçados , sendo presa fácil para os predadores .

Após ganharmos a confiança  é hora de habituá – lo as coisas novas que de agora em diante farão parte da rotina de trabalho como corda , bridão , sela , manta , rédeas , cavaleiro etc….  e os estimulos externos . É hora também de ensinar os primeiros movimentos , exercícios e comandos , deixando claro para ele o que queremos com cada um deles até que estejam apto a realizá – los e permitam ser montados com segurança .

Muitos pensam que esta fase se inicia quando começo a doma .  Na verdade tem início quando tenho o primeiro contato com o animal independente de sua idade ser 6 meses ou 10 anos . Nos equinos o ideal é inicia -los em redondel , para quem não sabe é um curral circular se cantos com medidas que variam de 6 a 8 metros de raio . Os  muares podem também ser iniciados em redondel porém  gosto de montá -los em lugares maiores com o auxílio de madrinhas (outro cavalo manso) , pois muares são animais  muito intelegentes , aprendem logo onde é o portão de saída e começam a brigar para sair e se defender quando perto do portão .

Esta primeira fase termina quando consigo dominar  meu animal , controlar sua direção e movimentos a passo , trote e galope . Nos cavalos trotes e galopes serão sempre em círculos  nesta fase . Já com os muares gosto de fazer em linha reta .

Outra coisa quero deixar claro . Equinos e muares são animais com comportamentos bem diferentes . Cavalos usam a velocidade para escaparem do perigo quando se sentem ameaçados . Já os muares usam a inteligência , caracteristica essa herdada do jumento que precisou aprender a pensar para escapar dos predadores , já que sua velocidade era pouca . Isso é importante porque vai diferenciar um pouco a forma de trabalhá – los durante a doma . No nosso linguajar como regra geral  os cavalos são animais para frente , uns mais outros menos , precisamos então trabalhá- los  e ensiná – lo a pensar para trás . Já os muares são animais para trás , é preciso trabalhar alongando .

Não vou fixar tempo ,  mas na minha experiência trinta  dias em média  é o suficiente para concluirmos essa fase  .

2 °Fase –  BASE , APRENDENDO A ESPERAR

 Nesta fase vamos  construir uma base sólida em nossos cavalos   e muares onde edificaremos todo o restante da doma , seus exercícios e manobras .

Trabalho com os animais fora dos rendodéis , de prefrência  terrenos planos , limpos e arenosos para se evitar acidentes  e lesões para cavalo e cavaleiro . Não há necessidade de ser uma pista  cercada , pode ser até em lugares abertos desde que tenham as condições acima descrita .

Nesta fase ensino os animais a  obedecerem  os comandos e realizar o trabalho em  espaços abertos .   O objetivo nesta fase além da evolução dos comandos , nos equinos tem mais uma função ,   ensina’- los a nos esperar , chamamos isso de Quebrar o cavalo .

O trabalho é realizado ainda em circulos com diâmetro entre  30 e 40 metros , a passo , trote e galope  e o objetivo é conseguir trabalhar com as rédeas bambas até que passo , trote e galope se tornem , alinhados  suaves , compassados e sem correria  . Este é um trabalho demorado , cansativo e muito desgastante mas extremamente necessário . Há casos de cavalos onde é necessário andar mais de 500 km , para se conseguir isso , claro que um pouco a cada dia . É preciso que o cavalo aprenda a esperar os meus comandos para não sair atecipando e fazendo as coisas por conta própria . Sou eu que determino o que fazer , quando e a que velocidade fazer .

As pessoas costumam me perguntar qual o tempo ideal para se trabalhar um cavalo nesta fase . Respondo sempre que não sou eu quem determina o tempo das montadas e sim o próprio cavalo . Eu só paro quando conseguir um avanço sufuciente e bom para o dia , se gastar 40 minutos ou 3 horas não tem problema ,  só desmonto de  um cavalo quando ele realizou o dever proposto para o dia , ou pelo menos boa parte dele  , o importante é que ele evoluiu ,  entendeu e aprendeu o trabalho proposto está mais perto do degrau 10 da escada .  Bons treinadores são aqueles  que percebem e sabem apreciar a evolução de seus animais , por menores que elas sejam .

Nesta fase também ensino meus animais a trabalharem alinhados no círculo , fazerem um círculo de verdade sem abrir ou fechar  quero que aprendam a trabalhar dentro das rédeas . Trabalho também os círculos menores sempre alinhados e o recuo , sem me importar com a colocação da nuca e  o alinhamento .

Gosto muito de andar com meus animais também fora desses espaços de trabalho. Ando em estradas , trilhas , no campo (pasto) , se tiver gado para mexer melhor ainda  . Ensina o cavalo a pensar e relaxa ,  além de adiantar o processo de doma .

Esta fase termina quando consigo o objetivo proposto , andar , trotar e galopar de rédeas bambas e alinhado . O tempo para isso varia muito depende da linhagem e do temperamento de cada  animal . Em média 60 dias . 

Nos muares o trabalho nesta fase é menor por serem animais para trás como já expliquei , eles normalmente nos esperam , é preciso então alongá – los . Trabalho também o recuo , círculos grandes e pequenos alinhados .

 

     3° Fase – TRABALHANDO AS PARTES  

Nesta fase vamos fazer o que chamo de desmontar o cavalo , não no sentido de descer da sela e sim como desmontamos um motor de carro , parte por parte , alguns domadores chamam de desbloquear outros ainda de amolecer . 

Os cavalos tem 5 partes do corpo que precisam ser trabalhadas separadamente : a nuca ; o pescoço ; a paleta ; a costela e a garupa , por isso chamei de desmontar , para depois na 4 fase , a última ,  vamos fazer o trabalho de reunir , montar as manobras e fazer o cavalo trabalhar como um todo .

Para que entenda melhor vou comparar o corpo do cavalo com uma mola . Quando a mola está reta ela tem força mas quando está dobrada perde a força . Com cavalos é a mesma coisa , por isso é preciso desmonta-los , ensiná -los a ceder a pressão do bridão , das pernas , das esporas , pois se o corpo do cavalo não dobrar ele terá força para resistir a nossos comandos e os movimentos não serão perfeitos .

O objetivo desse trabalho é controlar todas as partes do corpo , pois só assim poderemos ter completo comando sobre todos os seus movimentos . Imagine o cavalo como um carro, é preciso ter o controle dos pedais (acelerador , freio e embreagem ) , do volante e marchas , então determinamos para onde vamos , quando e a qual velocidade . 

Não é possivel fazer uma manobra  com um carro como estacioná-lo em lugar apertado se a direção estiver dura e virar pouco , se a marcha ré não estiver funcionado , o mesmo com a embreagem , acelerador  , freios etc…

Com cavalos é a mesma coisa não conseguiremos  fazer manobras complexas como troaca de mão , spin , roll backs , paradas etc…. se não tivermos o controle absoluto do cavalo . Quero lembrar que aqui não estou falando somente de prova de rédeas . O controle e as manobras são fundamentais  para qualquer modalidade . Nas provas de Quarto de milha especialmente as que envolvem gado , o posicionamento do cavalo em relação ao boi é tudo , quanto mais controle tiver sobre seu cavalo , mais fácil de conseguir boa posição , maior a chance de fazer um bom trabalho . No tambor e baliza controle e posicionamento  também são fundamentais .

Começo a trabalhar os exercícios desta fase dentro mesmo da 2 fase , em seu terço final , quando já estiver conseguindo empurrar com o contato das pernas e esporas . Começo sempre pela nuca em seguida o pescoço , a paleta , a costela e por fim a garupa . É preciso ter paciência e deixar claro para o animal o que você quer dele com cada comando , corrigir no tempo certo e na intensidade adequada , sem exessos e dar tempo para o cavalo aprender e aperfiçoar os movimentos .  

 Para cada parte do cavalo existe um ou mais  de um exercício específico , alguns realizados montados , outros no solo . Não importa qual deles irá realizar , o importante é o resultado final . Existem vários caminhos para se chegar a um mesmo lugar , a sugetão que deixo a você é que conheça o trabalho de pelo menos 3 bons profisionais da área que deseja , avalie cada um deles e forme o sua própria linha de trabalho .

Em minha experiência 2 meses é tempo suficiente para que o cavalo aprenda todos os exercícios , mas em minha linha de trabalho nunca paro de trabalhar esses exercícios , continuo aperfeiçoando e evoluindo ,  pois cavalos são como atletas , se parar de trabalhar enferruja começa a endurecer dificulta o trabalho e cai o rendimento .   

4° Fase –  MONTANDO AS MANOBRAS

Neta fase o trabalho será reunir o cavalo para que trabalhe como um todo , começaremos a ensinar para nosso animal as manobras mais utilizadas que serão muito úteis no trabalho  de treinamento pois terminada a doma , cada cavalo será encaminhado para uma determinada função ou modalidade de acordo com sua aptidão e ou desejo do seu proprietário .

 Portanto  trabalho o básico das manobras que serão mais exigidas de acordo com a modalidade que irão praticar ,  se estou domando um animal que será treinado posteriormente para prova de apartação , não vou ficar ensinando a ele manobras com spin , troca de mão , controle de velocidade entende, vou trabalhar paradas , recuos , roll backs ensinado a trabalhar jogando o peso nos posteriores etcc….Caso seja destinado para tambor e baliza vou trabalhar circulos grandes e pequenos sempre alinhados , trocas de mão , controle de velocidade etc…manobras úteis para a modalidade e assim acontece para cada modalidade .

Existem 4 manobras básicas que independênte da modalidade todos os cavalos que domo precisam saber : parada , recuo , roll-backs e galope .

 É importante sempre ter bom senso ,especialmente quando se lida com seres vivos e no caso o cavalo um ser  tão individual . Quando falo em parada quero dizer que todo animal  precisa saber o comando de rédias para parar e PARAR , jagando o peso para o posterior , não necessariamente que seja uma parada de 5 metros , como na rédeas , pois cada animal tem sua genética própria que  vai lhe proporcionar temperamento e habilidades diferentes de acordo com  a linhagem e ainda variam  de indivíduo para indivíduo . Cavalos com linhagem de apartação normalmente tem mais habilidade e cabeça  para parar do que os cavalos de linhagem de velocidade , mas todos precisam saber parar , recuar ,galopar , fazer círculos e roll-backs , cada um dentro do seu limite .

Outro ponto que deve ficar claro é que na doma o animal precisa aprender o básico das manobras em questão . O treinamento que virá depois será a hora para aperfeiçoar e lapidar as manobras necessárias .

Outra coisa muito importante e que nem todos sabem é que as manobras são contruidas parte por parte , assim como uma parede . Vou explicar melhor . Quando se entra numa casa terminada , você normalmente se depara com paredes pintadas ou terminadas com cerâmica ,  importa é que elas não nasceram assim , foram feitas parte por parte até chegarem naquele ponto .

Com cavalos também é a mesma coisa . Quando você um animal executando uma manobra como spin ,troca de mão , paradas  etc…  ou realizando determinada prova com perfeição , saiba que ele não começou assim. Foi preciso seguir um roteiro de construção da manobra em questão que com o passar do tempo foi ganhando novas etapas até ficar acabada .

 É preciso ter conhecimento , tempo , paciência e dedicação para se conseguir coisas boas com os cavalos , pois como já falei aprendem por repetição e o homem ainda não inventou uma máquina para se fazer isso .

Começo a trabalhar essa 4 fase da doma no terço final da 3 fase , quando conseguir ter domínio suficiente das partes para poder iniciar as manobras e termina quando consigo realizar o básico das manobras propostas . Em minha experiência dois meses também é o suficiente para se ensinar o básico das manobras .

 ortanto é necessário um tempo de 5 a 6 meses para concluir a doma de um cavalo . Esse tempo pode variar um poco para mais ou para menos mas em média é o suficiente .

Bem terminada a doma é hora do treinamento que será específico para determinado fim . Agora vamos a resposta da pergunta que fiz a vocês .

Caso 

                                                          

 

Published in: on 9 de janeiro de 2010 at 16:20  Deixe um comentário  
Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.